Obra Pública Municipal irregular pode ser demolida em Lagoa Grande

Uma obra pública que poderia se tornar o cartão postal da cidade de Lagoa Grande, na região Noroeste do Estado de Minas Gerais, corre o risco de ser demolida por causa de irregularidades e por não possuir licença ambiental, pois estava sendo construída na Lagoa Central que é uma área ambiental e pode sofrer desabamento.

De acordo com informações, a construção do Centro de Eventos Municipal foi iniciada na gestão passada e, devido irregularidades a atual administração do município não teve como dar segmento nas obras, o que vem causando revolta dos moradores da cidade de pouco mais de 9.500 habitantes.

Uma ação foi protocolada contra os gestores da administração passada e, no último dia 17 de junho o desembargador do TJMG, Dr. Mauricio Soares, determinou a indisponibilidade de bens do ex Prefeito Dr. Marcio Valeriano e dos engenheiros responsáveis pela obra, pelos atos de improbidade administrativa praticada ao pagamento dos danos materiais, experimentos pelo ente municipal e à reparação dos danos morais sofridos pela coletividade.

O valor da indisponibilidade é limitado a (R$ 671.018,24). Valor apontado para reparar os danos materiais pela obra inacabada e comprometida o Chamado centro de eventos na orla da Lagoa que dá nome a cidade de Lagoa Grande. A decisão atende a pedido do advogado da procuradoria municipal. A ação de Improbidade tramita na comarca de Presidente Olegário e a decisão é liminar e cabe recurso.

COMPARTILHAR
Gonçalves Advogacia