Grávida que teve o bebê retirado da barriga é encontrada morta com requintes de crueldade

Um crime brutal chocou a cidade de João Pinheiro na região Noroeste do Estado, uma jovem de 23 anos, grávida de oito meses, foi assassinada com requinte de crueldade e teve a criança retirada. A principal suspeita, uma mulher de 40 anos quase foi linchada por populares na tarde desta terça-feira (16/10), Leia Mais.

De acordo com informações, o corpo de Mara Cristina Ribeiro da Silva, 23 anos, foi localizado por populares que ajudavam na busca, com sinais de crueldade extrema. Ela estava com o pescoço amarrado com uma espécie de corda, a meia altura e seu corpo encostado em uma árvore pequena, tudo indica que para ajudar na retirada da criança.

Ainda segundo informações, Mara estava com a barriga aberta e as vísceras expostas. O corpo foi localizado em um terreno perto de um Posto desativado da Polícia Rodoviária Federal, as margens da BR-040.

INVESTIGAÇÃO

Angelina Ferreira e o marido foram detidos para esclarecimentos e a prisão preventiva de ambos já foi pedida.

De acordo com a Polícia Civil, após o encontro do corpo da jovem, Angelina Ferreira mudou a versão e confessou que participou do crime. A mulher contou que dopou a vítima com álcool, com cabo de aço a amarrou em uma árvore e realizou o parto.

“Acreditamos que tem a participação do marido e de uma terceira pessoa no caso, mas tudo depende da investigação policial daqui pra frente. Exames constataram que a Angelina não está grávida e acredito que o crime seja premeditado. Seguimos com a apuração da questão”, finalizou o delegado responsável pelo caso.

ENTENDA O CASO:
Uma mulher de 23 anos que estava grávida de 8 meses está desaparecida desde as 13h00 desta segunda-feira (15/10), o caso intriga a Polícia Militar, já que uma mulher que era conhecida da jovem, compareceu ao Hospital Municipal de João Pinheiro, com o bebê enrolado em um pano e com um ferimento na cabeça dizendo que era a mãe do recém-nascido.

O médico que atendeu a mulher, disse que queria examinar o recém-nascido, o que foi negado pela mulher de nome Angelina. O médico verificou que a mulher não apresentava evidências de gravidez e de ter ganhado a criança horas antes. A Polícia Militar foi acionada para tentar elucidar o caso que até agora é um misterioso.

Familiares da jovem desaparecida e identificada como sendo Mara Cristina, 23 anos, estiveram no hospital e, questionaram Angelina sobre o paradeiro de Mara. Segundo informações, Mara Cristina estava morando com Angelina a aproximadamente uma semana. Mas a mulher não soube informar o paradeiro de Mara.

Questionada pela Polícia Militar, a mulher relatou que a jovem Mara estava em uma residência no Bairro Itaipu. Uma guarnição da polícia e familiares da Mara estiveram na referida residência, mas a jovem não foi localizada.

Angelina ressaltou ainda que teve a ajuda de uma outra pessoa para realizar o parto da criança, porém não deu maiores detalhes. Angelina possui passagens policiais por roubo. A Polícia segue em rastreamento para tentar localizar a jovem Mara.

Devido a complicações respiratórias e nascer prematuro, o recém-nascido foi transferido para o Hospital São Lucas, em Patos de Minas, onde permanece internado.

COMPARTILHAR