Pesca nos rios de Presidente Olegário e região fica proibida a partir desta sexta-feira (01) com o início da Piracema

Começa nesta sexta-feira (01) e vai até o dia 28 de fevereiro de 2020 a Piracema. O chamado período de defeso dos peixes é fixado pelo Instituto Estadual de Florestas – IEF – para proteger os peixes que sobem as corredeiras dos rios nesta época do ano para se reproduzirem. No Rio da Prata, a pesca é permanentemente proibida, mesmo no período fora da piracema.

Nesta época do ano, os peixes sobem os rios em busca de águas mais quentes, oxigenadas e mais seguras para se reproduzirem. Cansados da jornada, os adultos se tornam presa fácil para predadores. A Piracema foi criada para proteger os peixes no momento em que eles estão mais fragilizados, garantindo a manutenção das espécies nos rios.

A Piracema restringe a pesca em algumas bacias e proíbe por completa esta prática em outras. É o caso do Rio da Prata, por exemplo, desde sua nascente e em toda a sua extensão, não poderá ser explorado pelos pescadores, nem mesmo com vara de mão. A proibição vale também para o Salitre, córrego Três Barras, Pirapitinga, Rio do Peixe, Rio Paranaíba, Rio Quebra Anzol, Rio Tejuco e Rio Araguari.

Nos locais em que a pesca é permitida, os pescadores devem observar o limite máxima de 3kg de pescado mais um exemplar e ficarem atentos aos equipamentos permitidos, que são a linha de mão com anzol, vara, caniço simples ou carretilha ou molinete de pesca, com iscas naturais ou artificiais. O uso de anzol de galha, pinda, espinhel, galão, cavalinho, caçador, João bobo, ou quaisquer aparelhos fixos, na modalidade de espera, bem como os equipamentos de emalhar está proibido.

Além disso, os pescadores que encontrarem locais permitidos, que estejam apenas com restrição, é importante observar as espécies liberadas, que são apenas os peixes exóticos, híbridos, alóctones e autóctones.

Segundo o tenente Vidal, comandante da Polícia Militar de Meio Ambiente de Patos de Minas, como cada bacia possui uma portaria específica, é importante que os pescadores façam uma pesquisa antes de se aventurarem nas águas de Minas Gerais. A pessoa que for flagrada infringindo as portarias da Piracema estarão sujeitos a duras penalidades.

COMPARTILHAR