Mais de dez casos da doença ‘mão-pé-boca’ são registrados na cidade de Rio Paranaíba

Após a suspensão das atividades em uma creche do Distrito de Chaves, em Rio Paranaíba, no Alto Paranaíba, por causa de um surto de vírus que transmite a doença conhecida por “mão-pé-boca”, 15 casos da doença foram registradas na comunidade.

Na instituição do município, com cerca de mil habitantes, 11 crianças e um adulto contraíram a doença. As aulas foram suspensas temporariamente e a previsão é que a creche retome as atividades na próxima semana.

De acordo com a coordenadora de epidemiologia de Rio Paranaíba, Vanilda Leonor Dorneles, os pais também foram chamados para receber orientações sobre como cuidar das crianças em casa.

Ao saber dos casos, as Secretarias de Saúde e Educação chamaram um médico que diagnosticou a doença e recomendou um processo de desinfecção por 15 dias no local devido aos riscos de transmissão do vírus.

Funcionárias da unidade estão limpando diariamente o espaço, todos os cômodos estão sendo lavados até o teto. Os colchões do berçário estão sendo colocados no sol e o álcool agora faz parte da rotina da creche.

Sintomas

Bebês e crianças, principalmente de zero a cinco anos, fazem parte do grupo de risco da síndrome “mão-pé-boca”. A doença atinge principalmente a sola dos pés, as palmas das mãos e a boca com bolhas que evoluem para feridas. A doença é altamente contagiosa e pode acometer os adultos também.

Segundo o clínico geral, Douglas Henrique da Cruz, apesar dos incômodos como dor na garganta e febre, a síndrome “mão-pé-boca” não costuma evoluir para complicações graves, mas requer cuidados com a higienização para quebrar o ciclo do vírus.

Fonte: G1 – Foto: Reprodução/TV Integração

COMPARTILHAR