Lagoa Formosa: Secretaria de Saúde esclarece sobre tratamento de garotinho com dermatite

A secretaria de saúde da cidade de Lagoa Formosa, decidiu prestar esclarecimentos, depois que a maioria dos órgãos de imprensa da região do Alto Paranaíba, baseados em relatos divulgados nas redes sociais, noticiaram o pedido de ajuda dos familiares de um menino de 4 anos, que está sofrendo com uma alergia muito grave.

O órgão alega que as publicações foram feitas sem serem ouvidas as versões das duas partes, o que causou um grande desconforto quanto a eficácia no tratamento que o SUS oferece ao paciente, sendo que, de acordo com os documentos apresentados pela secretaria alguns dos agendamentos feitos para o menino, o menino acabou não comparecendo ao atendimento médico.

Nota de Esclarecimento da Secretaria de Saúde

Em nota, a Secretaria de Saúde da cidade Informa que através do setor TFD foi realizado vários agendamentos na Especialidade de Alergista Infantil no Hospital de Clínicas de Uberlândia – UFU com equipe composta de médicos de excelência, laboratórios de análises clínicas equipados com equipamentos de alta tecnologia que disponibiliza todos os exames necessários pelo SUS e fornecido o transporte para deslocamento através do setor de transportes da Prefeitura.

No entanto, conforme demonstrado abaixo, os responsáveis pelo menor recusaram 04 (quatro) dos 05 (cinco) agendamentos realizados sem apresentar nenhuma justificativa para tal, comparecendo em apenas 01(um), interrompendo o tratamento ao não comparecerem na última consulta agendada nesse mês de Março.

Segue abaixo relação de agendamentos:

Dia 07/07/2017 às 07h30 com Dra. Aline Reis – Alergista Infantil: PACIENTE NÃO COMPARECEU (relatório em anexo);

Dia 28/03/2018 às 13h00 com Dra. Aline Reis – Alergista Infantil: PACIENTE NÃO COMPARECEU (relatório em anexo);

Dia 04/02/2019 às 07h00 com Dra. Karla – Alergista Infantil: PACIENTE NÃO COMPARECEU ( relatório em anexo);

Dia 11/02/2019 às 07h30 com Dra. Karla – Alergista Infantil: PACIENTE COMPARECEU (relatório em anexo);

Dia 07/03/2019 às 07h30 com Dra. Karla – Alergista Infantil: PACIENTE NÃO COMPARECEU (relatório em anexo).

Ressaltamos ainda que em todos os agendamentos realizados, o motorista responsável pelo transporte compareceu à residência da família no horário marcado, sendo que os responsáveis recusaram o transporte, bem como a consulta, fato presenciado pelos demais pacientes e acompanhantes presentes no veículo.

Diante do conhecimento da falta na última semana e sabendo da situação que a criança se encontra nós da Secretaria de Saúde fizemos contato com a Secretaria de Assistência Social para providências cabíveis, além disso, já foi solicitada novamente a remarcação do retorno pelo Setor de TFD.

Aproveitando o momento informamos também que já obtivemos depoimentos de familiares de crianças com processos alérgicos que realizaram o tratamento com os mesmos profissionais, tiveram excelentes resultados e não manifestaram nenhuma queixa. A Secretaria de Saúde encontra-se à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários.

Sendo o que se apresenta para o momento, agradeço.

CAMILA DA SILVA MATOS-SECRETÁRIA DE SAÚDE

DEPOIMENTO DA MÃE DO PACIENTE

O jornalista Vanderlei Gontijo, esteve na tarde desta terça-feira (12/03) na casa da mãe do garotinho e conversou com Mirian Aparecida Oliveira, 37 anos, que deu sua versão sobre o fato. A mãe contou que chegou a deixar de comparecer em alguns agendamentos para o filho, mas tentou justificar a ausência. Ela disse que em um deles, o pai do menino iria leva-lo e não compareceu para acompanhá-lo, sendo que em outro ela estava com o seu parto da filha mais nova agendado.

Mirian disse que foram outras pessoas de sua família que resolveram procurar ajuda para custear as despesas de um tratamento particular para o garoto, e que não sabia do conteúdo do texto que foi publicado nas redes sociais, mas que acredita ser direito dela aceitar ajuda de pessoas que querem o bem para o menino.

Ela finalizou contando que esteve com ele em uma consulta nesta terça (12) em Patos de Minas, e que a médica que o atendeu disse que a doença do garotinho realmente é difícil de ser curada, mas com o tratamento correto é possível ser controlada.

Matéria: Vanderlei Gontijo

COMPARTILHAR