Com nova gestão, Hospital São Lucas de Patos de Minas ajuda a desafogar rede pública, diz secretária de Saúde

Após impasse administrativo que dura desde 2017, o Hospital São Lucas, único privado que atende 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Patos de Minas, já funciona sob gestão da empresa Pró-Saúde, o que ajudou a desafogar a rede pública da cidade.

A afirmação é da secretária municipal de Saúde, Denise Fonseca. Em maio, uma decisão judicial da 2ª Vara Cível da Comarca de Patos de Minas concedeu à empresa a administração da unidade hospitalar pelo período de seis meses.

Em entrevista, a titular da pasta disse que o reabastecimento de medicamentos, a estrutura de hemodiálise, um dos carros-chefe do atendimento, e das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) melhoraram significativamente após o início da nova gestão.

“Esta retomada é de grande importância para o município, pois certamente, com o bom funcionamento do São Lucas, a rede pública local, que está superlotada, ganha um alívio, principalmente as Upas. Ganham os moradores”, afirmou Denise Fonseca.

A secretária destacou, ainda, que 33 cidades do entorno dependem da rede de saúde de Patos de Minas e que a Prefeitura atua para que a unidade trabalhe em plena capacidade. Ela explicou também sobre a responsabilidade legal da Administração na questão.

“Neste caso do São Lucas, o Município é apenas o gestor do contrato e recebe para repasse, por lei federal, recursos do SUS. Não injetamos recursos municipais próprios no hospital, mas nosso interesse é que o São Lucas prospere e que a população possa estar coberta”, completou.

Pró-Saúde

Nossa reportagem procurou a Pró-Saúde para mais detalhes. Em nota, a empresa disse que desde o dia 21 de maio vem tomando medidas para assegurar a continuidade dos serviços e que realizou o abastecimento do hospital, bem como regularizou o pagamento dos salários atrasados dos colaboradores, após repasse de recursos da Prefeitura de Patos de Minas.

“Além disso, a entidade está promovendo a manutenção corretiva de todos os equipamentos da unidade, que incluem os aparelhos da hemodiálise e UTI adulto e neonatal. Dessa forma, todos os esforços estão sendo realizados para restabelecer a sustentabilidade, qualidade e humanização do atendimento oferecido aos pacientes do Hospital São Lucas.”

Por fim, a empresa cita que identificou um déficit que já ultrapassou R$ 14 milhões, incluindo dívidas com funcionários e com fornecedores. “O relatório com as condições encontradas pela entidade em relação ao Hospital foi apresentado à Justiça no início do mês de julho”, finaliza.

Entenda

Conforme recomendação judicial, o período de seis meses estabelecido para a gestão da Pró-Saúde, que pode ser prorrogado, será utilizado como fase de transição para que a administração retorne ao antigo dono da unidade, o médico Sérgio Piau.

O impasse envolvendo o hospital ocorre desde 2017, quando a unidade, que é particular, mas atende 100% pelo SUS, foi arrendada pelo ex-prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz, por meio da Fundação Educacional Alto Médio São Francisco (Funam).

No entanto, o antigo dono acionou a Justiça alegando que os acordos firmados no arrendamento não foram cumpridos. Conforme o médico, o atendimento não estava sendo satisfatório por que Ruy Muniz não estaria repassando os recursos para o hospital, que enfrenta nos últimos anos dificuldades para atender os mais de 200 pacientes que precisam de hemodiálise.

À época, Rui Muniz não se opôs à determinação e disse que à reportagem que, caso a empresa Pró-Saúde aceitasse assumir a administração, ele não iria contrariar a decisão.

Hospital São Lucas

O Hospital São Lucas atualmente é a única unidade privada de Patos de Minas que atende pelo SUS, com 50 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), serviços de hemodiálise, tratamento oncológico, maternidade, centro cirúrgico, laboratório de análises clínicas e outros serviços.

Fonte:G1

COMPARTILHAR
Gonçalves Advogacia