Com mais de 70 passagens pela polícia, principal suspeito de matar taxista continua foragido

O assassinato do taxista Rainelle Hylario Soares, de 29 anos, já está praticamente elucidado, entretanto, a polícia segue sem pistas de onde se encontra o principal suspeito de cometer o crime. Ricardo Elias Soares Luiz, conhecido como Ricardinho, continua foragido. Ele chegou a postar mensagem nas redes sociais informando que seria preso e que ficaria uns quatro anos no Presídio, mas conseguiu escapar.

O crime aconteceu na madrugada do dia 05 de Janeiro no bairro Coração Eucarístico. Rainelle foi encontrado sentado no banco do motorista, com o corpo coberto de sangue e já sem vida. Ele levou pelo menos cinco tiros na cabeça e pescoço. As investigações começaram imediatamente e a polícia não teve muita dificuldade para identificar as pessoas que estavam com o taxista na noite do crime.

O veículo é rastreado e mostrou que o taxista levou quatro passageiros, dois homens e duas mulheres, em bares e locais apontados como pontos de tráfico de drogas antes do assassinato. Na noite do dia seguinte, a Polícia Militar conseguiu prender as duas mulheres que estavam no carro. Andreia Soares Silva, de 19 anos, e uma menor de 16 anos, que está grávida, foram encontradas no meio do mato, na Fazenda Prata, a cerca de 20km depois de Presidente Olegário. Elas confessaram o crime.

Os dois homens que estavam com elas, inclusive Ricardinho, conseguiram fugir. A Polícia segue trabalhando para tentar localizar o autor dos disparos que tiraram a vida de Rainelle. Ele é um velho conhecido do meio policial e já foi preso inúmeras vezes. No ano passado, após mais uma prisão, Ricardinho concedeu entrevista ao Patos Hoje. Ele mesmo confessou que já foi preso mais de 70 vezes. Na época, depois de ser preso em um carro roubado fugindo da polícia, Ricardinho brincou que ficaria “uns quatro mesinhos presos”.

O segundo foragido é Wemerson Glecio Ferreira Rosa. Ele também estava na cena do crime e, conseguiu fugir junto com Ricardinho quando os policiais capturaram a jovem e a adolescente. Parentes e amigos do taxista assassinado cobram justiça. Eles querem que os dois homens que participaram do homicídio também sejam presos e que paguem pelo crime que cometerem. Quem tiver alguma informação do paradeiro de Ricardinho e Wemerson deve denunciar no 181.

Fonte:Patos Hoje

COMPARTILHAR