Casa de Olegário Maciel em Patos de Minas tem parecer inicial para tombamento como patrimônio histórico estadual

Uma visita técnica à Casa de Olegário Maciel, em Patos de Minas, está agendada pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG). O objetivo é dar sequência ao processo de tombamento como patrimônio histórico estadual do local que abriga, atualmente, o Museu Municipal.

A informação foi divulgada pela Prefeitura, na última sexta-feira (18), que confirmou o aceno positivo do Instituto para que o procedimento se concretize.

Segundo a publicação, a presidente do Iepha, Michele Arroyo, reconheceu a relevância do pleito feito pelo Município quanto à importância da casa e de seu ex-dono, o político Olegário Maciel. “Não somente para a história de Patos, mas também para a memória histórica de Minas Gerais e do Brasil, haja vista ter sido Olegário o braço direito de Getúlio Vargas nos turbulentos anos da Revolução de 1930″, justificou a presidente do Iepha.

Em dezembro de 2017, a Diretoria de Memória e Patrimônio Cultural (Dimep) encaminhou processo ao Iepha solicitando o tombamento estadual da Casa de Olegário Maciel.

Visita

Depois de parecer inicial positivo, agora, a visita será feita para aprofundamento da pesquisa sobre a casa e sobre Olegário Maciel, além da relação de ambos com a identidade patense e mineira.

Para Geenes Alves, diretor da Dimep, o tombamento estadual da casa de Olegário Maciel colocará Patos de Minas em destaque nos cenários estadual e federal quanto à proteção e promoção do patrimônio cultural.

Além disso, garantirá ao município mais dois pontos na Lei Robin Hood – ICMS Patrimônio Cultural –, revertendo anualmente à Prefeitura valor próximo de R$ 50 mil para investimento em patrimônio cultural.

Olegário Maciel

Olegário Maciel foi um político nascido em Bom Despacho, no dia 8 de outubro de 1855, e ficou conhecido como um dos líderes da Revolução de 1930, que conduziu Getúlio Vargas ao poder no Brasil.

Ele foi o engenheiro superintendente da Companhia Belga da Estrada de Ferro Pitangui-Patos e também juiz de paz em Santo Antônio de Patos, atual Patos de Minas.

O município vizinho de Patos de Minas passou a se chamar Presidente Olegário em homenagem a Olegário Maciel, que havia sido presidente do Estado de Minas Gerais no tempo da República Velha (1889-1930).

Fonte:G1

COMPARTILHAR
Gonçalves Advogacia